Capítulo vigésimo terceiro

Querida Rita Lee, 

Aqui quem escreve é a sua fã Yara. Te escrevo porque você faz muito parte de todas as fases da minha história! “Levava uma vida sossegada”.  
A primeira ves que te ouvi, estava deitada depois do almoço no quintal de uma amiga, chupando uma laranja quando começou a tocar “Mania de você”, eu tinha 11 anos. Estava um sol gostoso e fiquei ali ouvindo a letra, o ritmo gostoso e só pensando em rolar com o André, o menino que eu gostava e também era do Riacho Grande. Fiquei loucona com as músicas desse LP. Quis conhecer quem era a cantora. Foi amor à primeira vista.  
Pula uns anos… começaram as pistas de patinação… lá fui eu com a minha prima Virgínia… na Rock&Roller, aprendi rápido! Uma tarde começou a tocar “Lança Perfume” e comecei a patinar mais rápido… pensando se viria um príncipe encantado pegar na minha mão e não é que um pegou?! Suei frio, pois é, eu também já sonhei com príncipe encantado, (e encontrei, se chama Ricardo) demos umas três voltas juntos e cada um foi para o seu lado… acontece… mas você ficou comigo o tempo todo. 
Com a mesma prima fomos andar de carro na Augusta, ou melhor, ficar paradas na Augusta paquerando… ela tinha uma Brasília verde, mas nesse dia fomos com o Del Rey da minha mãe, que era o máximo, tinha até vidro elétrico! Chegaram dois meninos lindos para conversar com a gente, um em cada porta. Que delícia! Mas era muita coincidência, eram do bairro dela, do Ipiranga. Ela não acreditou! Beijou e começou a namorar o Saito, namorou anos com ele! Eu ainda não beijei dessa vez. e tocava “Mutante” no rádio! “Ai de mim que sou romântica”. 
Quando tinha 19 anos, conhecia um menino que vinha de São Paulo e tinha uma chácara lá no Riacho. Ele rodava por lá com um primo,até que um dia pararam na nossa rodinha e convidaram para uma festa que eles iam dar. Lá fomos nós! Sentamos todos com as pernas dentro da piscina e começamos tomar vinho no gargalo. Gente, aquela garrafa foi passando, passando e eu de gole em gole, uma hora esse menino pegou na minha mão para me dar uns beijinhos, mas não consegui levantar direito não… o resto da noite ele ficou cuidando de mim… e tocava “Baila Comigo”.  
Já artista, queria fazer uma série de mulheres juntas para falar da força de um grupo feminino e fiz a “Série Todas as Mulheres do Mundo”. Salve Rita Lee e Cazuza como inspiração! É uma delícia desenhar ouvindo você Rainha! “Dançar para não dançar”.  

Obrigada!  

Yara Dewachter 

Capítulo 22 | Capítulo 24