José Bento Ferreira

Yara Dewachter

Há algo de trágico na tentativa de fixar em pintura os prazeres de domingo, à sombra da segunda-feira. Como em Warhol, estamos olhando para nada. Nega-se tudo o que se afirma: o prazer se esgota e os objetos são removidos de sua existência banal para ser considerados esteticamente. Porém, afirma-se aquilo que se nega: estilo, autenticidade e beleza são valores apenas aparentemente suprimidos porque estão tematizados em forma de discurso, conceito, reflexão.

José Bento Ferreira